Projeto

Acerte no orçamento de sua obra

By 20 de novembro de 2019 No Comments

Para muita gente, construção e reforma são sinônimo de gastos excessivos. Sempre surge um imprevisto para prolongar o trabalho e encarecer a mão de obra, né? Só que muitos desses contratempos acontecem por erro de planejamento. Portanto, hoje você vai aprender como calcular o orçamento de uma obra de engenharia da maneira certa.

Cálculo de custo unitário otimiza o orçamento da obra

A Composição de Preços Unitários (CPU) é um método bastante eficaz para a construção civil. Ela ajuda a prever as necessidades de um projeto, de modo que os custos possam ser estimados com alto nível de precisão.

Para tanto, primeiro é preciso entender o escopo do trabalho. Isso significa conversar com o cliente, conhecer a finalidade daquela obra e definir quais recursos serão empregados na execução.

Vale a pena fazer um briefing bem detalhado. Quanto mais informações à disposição da equipe, mais certeiro será. Assim, todos os envolvidos saberão quais serviços fazer e quando realizar cada etapa.

Depois, listam-se os insumos. São os materiais a serem utilizados na obra (tijolo, areia, cimento…), os trabalhadores (pedreiros, pintores…) e eventuais equipamentos que precisam ser comprados ou alugados (furadeira, lixadeira, caçamba de entulhos…).

A próxima etapa é saber o preço de cada insumo. Digamos que um cano de PVC custe R$ 8/unidade, o piso de porcelanato saia por R$ 50/m² e o pedreiro cobre R$ 15/hora. Considere o consumo, ou seja, a quantidade de materiais necessária ou o número de horas que os colaboradores levam para finalizar uma tarefa.

Agora já podemos aplicar a composição de preços unitários ao projeto. Basta dividir o tempo de execução pela quantidade de serviço. Por exemplo, um pedreiro leva 12 horas para erguer uma parede de 1,5 m². Nesse caso, 12 dividido por 1,5 leva a 8 horas/m². Esse é o índice de consumo dessa etapa da obra.

Multiplicando o índice de consumo pelo custo unitário, tem-se o custo total de cada insumo. Somando tudo, chega-se ao valor total para a execução do serviço. Cabe lembrar que, em cima disso, ainda há algumas taxas cobradas pela empresa de engenharia. Isso vai definir o orçamento final da obra.

Tecnologia ajuda a definir o CPU da obra de engenharia

A explicação teórica às vezes parece mais simples que a aplicação prática, não é mesmo? Felizmente, hoje em dia existem plataformas digitais que facilitam o cálculo do CPU de uma obra. Diversos softwares e até sites, pagos ou gratuitos, oferecem ferramentas para isso.

Um exemplo é o ORSE, desenvolvido pela Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas de Sergipe. Ele mantém uma base de dados com insumos e composições de preços unitários para consulta. Outra opção é o Sinapi, da Caixa Econômica Federal, que divulga relatórios com referências de preços e custos.

Aqui na Sulpply, temos uma planilha com mais de mil composições de serviço. Esse conteúdo nos auxilia a montar um orçamento mais preciso e rápido para a sua obra. Quer saber como podemos colaborar? Então entre em contato conosco e solicite mais informações!

Facebook Comments